Contrato de doação de gametas: um estudo sobre suas nuances contratuais e suas implicações nas relações jurídico-familiares de filiação

  • Vanessa Audrey Alves Cardoso Santos Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Doação de gametas, Aspectos contratuais, Implicações no instituto da filiação, Anonimato do doador, Direito comparado

Resumo

Com o avanço das técnicas de procriação medicamente assistida, percebe-se um aumento na utilização de gametas de terceiros para solucionar problemas de infertilidade masculina ou feminina. Com isso, aumentaram as discussões jurídicas sobre essa nova realidade que tem atingido um verdadeiro pilar do Direito - o instituto da filiação. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é realizar um estudo das questões contratuais atinentes ao tema, levando em consideração as nuances e particularidades desse contrato (tipicidade e atipicidade), a maneira como ele tem regulado as condutas dos sujeitos contratuais (complexos contratuais) e, consequentemente, dos seus efeitos no Direito de Família. A título de suporte à discussão central, analisar-se-á, ainda, como os ordenamentos jurídicos estão se posicionado frente à questão do anonimato, um dos pontos cruciais no debate dos contratos de doação de gametas, sem negligenciar a discussão em torno da problemática da compra e venda desse tipo de material biológico.

Biografia do Autor

Vanessa Audrey Alves Cardoso Santos, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra

Mestra em Direito Civil na Universidade de Coimbra. Bacharela em Ciências Jurídicas pela Universidade Federal da Paraíba.

Referências

ALVIM, Agostinho. Da doação. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1963.

ANDRADE, Denise Almeida de; CHAGAS, Márcias Correia. Limitações ao anonimato dos doadores de material genético nas fecundações artificiais humanas frente ao direito à informação do receptor: uma nova mirada à luz do princípio da dignidade da pessoa humana. In Anais do XIX Encontro Nacional do CONPEDI, Fortaleza, pp. 705 – 716, 2010.

BARBOSA, Camilo de Lelis Colani. Aspectos jurídicos da doação de sêmen. In Seara Jurídica, v.1, n.º 9, jan. – jun., pp. 44–58, 2013.

BARBOSA, Camilo de Lelis Colani. Aspectos jurídicos do contrato de recepção de sêmen em inseminações heterólogas. In Seara Jurídica. V. 1, n.º 7, jan. – jun., pp. 14–28, 2012.

BOÇON, Mariana Schafhauser. A regulação das técnicas de reprodução assistida: uma análise comparativa entre Brasil e Portugal. In RIBEIRO, Luiz Gustavo Gonçalvez; OLIVEIRA, Nuno Manuel Pinto; POZZETTI, Valmir César (Coord.). Biodireito e direito dos animais. Florianópolis: CONPEDI, 2017.

BORBA, Rogério. Aspectos jurídicos da reprodução humana assistida: A fecundação in vitro. In Castro, Cristina Veloso de; SILVA, Mônica Neves Aguiar da (Coords.). Biodireito e direito dos animais I. Florianópolis: CONPEDI, 2016.

BORGES, Daniella Aloise. O regime jurídico da procriação medicamente assistida post mortem: quadro geral e implicações sucessórias. Tese de Mestrado policopiada, Coimbra, 2014.

CAMPOS, Diogo Leite de. A procriação medicamente assistida heteróloga e o sigilo sobre o dador – ou a omnipotência do sujeito. Separata da obra Estudos de Direito da Bioética, Almedina, 2008.

CARREIRAS, Tiago Manuel da Silva Cunha. O anonimato do dador de gâmetas e o direito ao conhecimento das origens genéticas. Dissertação de Especialização em Ciências Jurídicos- Forenses policopiada. Coimbra, 2015.

COELHO, Francisco Manuel de Brito Pereira. Contrato: evolução do conceito no direito português. Boletim da Faculdade de Direito. Universidade de Coimbra, vol. 64, pp. 233–296, 1988.

COELHO, Francisco Manuel de Brito Pereira. Contratos complexos e complexos contratuais. Coimbra: Coimbra Editora, 2014.

COELHO, Francisco Pereira; OLIVEIRA, Guilherme de. Curso de Direito da Família. Vol 1. Introdução Direito Matrimonial. 5. Ed. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2016.

DUARTE, Tiago. In Vitro Veritas? A procriação medicamente assistida na Constituição e na Lei. Coimbra, Almedina, 2003.

EL PAÍS. Um único doador de sêmen com mais de 100 filhos assombra a Holanda. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2017/08/25/internacional/1503653391_169928.html>. Acesso em: 23/04/2018.

FACHIN, Luiz Edson. Da paternidade: relação biológica e afetiva. Belo Horizonte: Del Rey, 1996.

GOMES, Orlando. Contratos. 13. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro, volume 3: contratos e atos unilaterais. 14. Ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

GLOBO. Os brasileiros que doam esperma para inseminações caseiras. Disponível em: <https://g1.globo.com/bemestar/noticia/os-brasileiros-que-doam-esperma-para-inseminacoes-caseiras.ghtml>. Acesso em: 23/04/2018.

HAAB, Tuiskon Bejarano. Reprodução humana assistida: Possibilidade e limitações segundo os direitos humanos e a constituição brasileira. In BELLINETTI, Luiz Fernando; BOAS, Regina Vera Villas (Coords.). Biodireito e direito dos animais. Florianópolis: CONPEDI, 2017.

IVONE, Vitulia. Perfis atuais da saúde reprodutiva na Itália, entre proibições legislativas e julgamentos jurisprudenciais. In BELLINETTI, Luiz Fernando; BOAS, Regina Vera Villas (Coords.). Biodireito e direito dos animais. Florianópolis: CONPEDI, 2017.

LEITÃO, Luís Manuel Teles de Menezes. Direito das obrigações. Vol 3. Contratos em especial. Coimbra: Almedina.

LENOIR, Noelle. Normativa Francesa, Europea a Internacional en Matéria de Bioética. In Revista de Derecho Y Genoma Humano, n.º 1, dez, 1994.

LOUREIRO, João Carlos. “O nosso pai é o dador n.º XXX”: A questão do anonimato dos dadores de gametas na procriação medicamente assistida heteróloga. Lex Medicinae: Revista Portuguesa de Direito da Saúde, ano 7, n.º 13, pp. 5 – 42, 2010.

MATOS, Lucia Helena Ouvernei Braz de; ARAUJO, Litiane Mottamarins. Novos frascos, velhas fragrâncias: Uma reflexão sobre o princípio do anonimato na reprodução humana assistida com doadores. In FREITAS, Riva Sobrado de; OLIVEIRA, Liziane Paixão Silva; SOUSA, Simone Letícia Severo e (Coords.). Biodireito. Florianópolis: CONPEDI, 2015.

MEDEIROS, Robson Antão de; LIMA, Wânia Cláudia Gomes Di Lorenzo. Reprodução humana assistida: Contrapontos do direito à parentalidade-filiação e à identidade genética. In FREITAS, Riva Sobrado de; OLIVEIRA, Liziane Paixão SILVA; SOUSA, Simone Letícia Severo (Coords.). Biodireito. Florianópolis: CONPEDI, 2015.

MOURA, Carolina. O anonimato do doador de sêmen e o direito à origem genética. In Revista do Curso de Direito da UNIFACS, vol. 6, pp. 177-193, Porto Alegre, 2006.

NUNES, Ruy. A liberdade ética da pessoa humana. In NETO, Luísa; PEDRO, Rute Teixeira (Coords.). Debatendo a procriação medicamente assistida. Porto: U. Porto, 2017.

OLIVEIRA, Guilherme de. Aspectos jurídicos da procriação medicamente assistida. In Temas de Direito da Medicina. Coimbra Editora, 2005.

OTERO, Paulo. Personalidade e identidade pessoal e genética do ser humano: Um perfil constitucional da Bioética. Coimbra: Almedina, 1999.

PASSOS, Marianna Gazal; PITHAN, Lívia Haygert. A doação compartilhada de óvulos no Brasil sob o enfoque do Direito e da Bioética. In Revista da AMRIGS, Porto Alegre, jan.–mar., 2015.

PEDRO, Rute Teixeira. Uma revolução na conceção jurídica da parentalidade? Breves reflexões sobre o novo regime jurídico da procriação medicamente assistida. In NETO, Luísa; PEDRO, Rute Teixeira (Coords.). Debatendo a procriação medicamente assistida. Porto: U. Porto, 2017.

PEREIRA, André Gonçalo Dias. Filhos de pai anónimo no século XXI. In NETO, Luísa; PEDRO, Rute Teixeira (Coords.). Debatendo a procriação medicamente assistida. Porto: U. Porto, 2017.

PINHEIRO, Jorge Duarte. Direito de Família e das Sucessões, II vol., 2.ª edição, AAFDL, Lisboa, 2006.

PINTO, Hugo; CARVALHO, Ana Rita. A doação de ovócitos e o direito de família: Representações e repercussões psicológicas na gravidez. In Lex Medicinae, ano 7, n.º 14, p. 145 -155, 2010.

PINTO, Carlos Alberto da Mota/ MONTEIRO, António Pinto/ PINTO, Paulo Mota, Teoria Geral do Direito Civil, 4 ed. Coimbra: Coimbra Editores, 2005.

PORTUGAL. Acórdão n.º 101/2009 do Tribunal Constitucional.

RAPOSO, Vera Lúcia. O direito à imortalidade: O exercício de direitos reprodutivos mediante técnicas de reprodução assistida e o estatuto jurídico do embrião in vitro. Coimbra: Almedina, 2014.

RAPOSO, Vera Lúcia. Contratos de donación de gametos: ¿Regalo de vida o venta de material genético? Revista de Derecho y genoma humano, n.º 37, pp. 93 -122, Bilbao, 2012.

RAPOSO, Vera Lúcia. Vende-se gameta em bom estado de conservação (O “obscuro” mercado das células reprodutivas), Lex Medicinae: Revista Portuguesa de Direito da Saúde, ano 6, n.º 12, pp. 47 – 74, 2009.

RIBEIRO, Raphael Rego Borges. Reprodução humana assistida à luz da teoria do fato jurídico. In BELLINETTI, Luiz Fernando; BOAS, Regina Vera Villas (Coords.). Biodireito e direito dos animais. Florianópolis: CONPEDI, 2017.

SABINO JÚNIOR, Vicente. Contrato de doação. São Paulo: Brasilivros Editora e Distribuidora LTDA, 1979.

SANTOS, Patricia Farias dos. A reprodução assistida heteróloga, aspectos jurídicos e a controvérsia jurídica em relação a identidade do doador. In ALBUQUERQUE, Letícia; SILVA, Mônica Neves Aguiar da; POZZETTI, Valmir César. (Coords.) Biodireito e direito dos animais. Florianópolis: CONPEDI, 2016.

SCALQUETTE, Ana Cláudia Silva. Controle do material genético doado e destino dos embriões excedentários na reprodução assistida: reflexos no direito de família e das sucessões. In NETO, Luísa; PEDRO, Rute Teixeira (Coords.). Debatendo a procriação medicamente assistida. Porto: U. Porto, 2017.

STANZIONE, Maria Gabriella. Nascimento anónimo, procriação medicamente assistida e direito a conhecer as respetivas origens numa perspectiva comparada. In NETO, Luísa; PEDRO, Rute Teixeira (Coords.). Debatendo a procriação medicamente assistida. Porto: U. Porto, 2017.

SILVA, Susana. Direito, genética e família: o caso da doação de gametas em Portugal. In SILVA, Susana; VELOSO, Luísa (Coords.). Representações jurídicas das tecnologias reprodutivas: contributos para uma reflexão. Porto: U. Porto Editorial, 2009.

UOL. Gigante do comércio chinês paga até US$ 800 por doação de esperma. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/07/1660485-gigante-do-comercio-chines-quer-ajudar-na-producao-de-bebes.shtml> . Acesso em: 23/04/2018.

USA. Hecht v. Superior Court 20 Cal. Rptr. 2d 275 (CT. App. 1993).

VASCONCELOS, Pedro Pais. Contratos atípicos. 2. ed. Coimbra: Almedina, 2009.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil: contratos. – 17. Ed. – São Paulo: Atlas, 2017.

Publicado
02-05-2021
Como Citar
ALVES CARDOSO SANTOS, V. A. Contrato de doação de gametas: um estudo sobre suas nuances contratuais e suas implicações nas relações jurídico-familiares de filiação. civilistica.com, v. 10, n. 1, p. 1-32, 2 maio 2021.
Seção
Doutrina estrangeira