Testamento virtual: ponderações sobre a herança digital e o futuro do testamento

  • Ana Luiza Nevares PUC-Rio
Palavras-chave: Testamento, Herança digital, Codicilo, Manifestações de vontade post mortem, Plataformas digitais

Resumo

Este artigo discorre sobre a forma de testar no Direito Brasileiro e seus desafios diante de uma rotina social cada vez mais digital. Nessa direção, parte-se do estado atual da jurisprudência, que tende a mitigar o rigor formal do testamento, para demonstrar como a pandemia do coronavírus acelerou o surgimento do testamento público digital. Todo esse cenário acentua os debates sobre como a era da comunicação virtual influencia o surgimento de manifestações de última vontade por meio de plataformas digitais e mídias sociais, sendo certo que o crescente acúmulo de bens e dados digitais levarão necessariamente à previsão de seu destino post mortem, não só pelos meios tradicionais dos atos de disposições de última vontade, como também pelas respectivas plataformas onde estão inseridos os referidos conteúdos digitais. Vale registrar que o exame ora proposto não descuida da distinção entre os conteúdos digitais de natureza patrimonial e existencial.

Biografia do Autor

Ana Luiza Nevares, PUC-Rio

Doutora e mestre em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora do Departamento de Direito da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e Coordenadora pós-graduação lato sensu do Curso de Famílias e Sucessões da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Advogada.

Referências

BEVILAQUA, Clovis. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil commentado, vol. VI, Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 5ª edição, 1944.

BEYER, Gerry W. Wills. Trusts and Estates. New York: Wolters Kluwer, 2019.

CARROLL, Evan & ROMANO, John. Your Digital Afterlife. Berkeley: New Riders, 2011. CHIZZOTTI, Camila & KRAMEL, Karim. A proteção dos dados pessoais das pessoas falecidas. https://www.conjur.com.br/2020-jul-27/chizzotti-kramel-protecao-dados-pessoas-falecidas. Acesso em 15.10.2020.

DELGADO, Mário. O testamento em vídeo como opção de lege lata. https://www.conjur.com.br/2020-jun-28/processo-familiar-testamento-video-opcao-lege-lata#_ftn6. Acesso em 18.10.2020.

GONÇALVES, Cunha. Tratado de Direito Civil, vol. IX, t. II, n. 1.352, 2ª ed.

HONORATO, Gabriel; LEAL, Livia Teixeira. Exploração Econômica de Perfis de Pessoas Falecidas: Reflexões Jurídicas a partir do caso Gugu Liberato. in Revista Brasileira de Direito Civil, ano 04 – vol. 23 – janeiro/março 2020.

LEAL, Livia Teixeira. Internet e Morte do Usuário: A Necessária Superação do Paradigma da Herança Digital. Belo Horizonte: Revista Brasileira de Direito Civil – RBDCivil, v. 16, p. 181-197, abr./jun. 2018.

Publicado
02-05-2021
Como Citar
NEVARES, A. L. Testamento virtual: ponderações sobre a herança digital e o futuro do testamento. civilistica.com, v. 10, n. 1, p. 1-20, 2 maio 2021.
Seção
Doutrina contemporânea